Introdução a A.I. e Elementos Fundamentais em A.I.

As duas disciplinas em uma que foram ministradas pela Profª. Thaís Campas nos colocou em contato com as primeiras noções sobre o trabalho do arquiteto de informação e nos apresentou muitos termos do jargão da profissão, assim, como algumas  técnicas e métodos de trabalho. A ferramenta mais discutida e temida por nós em aula foram as matrizes. Matrizes de funcionalidades, matrizes de conteúdo, matrizes. A matriz, no meu entender, nada mais é que um levantamento profundo das funcionalidades e conteúdos de um site/portal (isto, é se for uma matriz legada – de um produto já existente) ou se for de um produto novo, conterá funcionalidades, seções, links, tecnologias, tudo o que for necessário pra um bom andamento de projeto. É uma planilha detalhada nos dois casos e os campos da planilha quem vai definir é o próprio arquiteto.

Como conclusão dessa disciplina nos foi pedido um trabalho em grupo de análise de um portal ou site à escolha com os seguintes conteúdos: uma matriz de escopo até o 4º nível do site mais perfil do negócio, razão de escolha do portal a ser analisado, análise da situação do portal (pontos fracos, fortes, oportunidades e ameaças) e uma conclusão com possíveis melhorias para a experiência do usuário.

Eu e o meu grupo ( Eglen Mari, Erico Rabanea e Shirley Higa) escolhemos o portal da SPTrans por ser um portal destinado a informar as pessoas sobre o transporte público da cidade e os benefícios de usá-lo, além de mostrar as facilidades que oferecem.

Após a análise detalhada nós chegamos a algumas conclusões: que o portal da SPTrans apresenta uma série de serviços relevantes a população em geral, tanto o usuário de transporte coletivo quanto o usuário de transporte individual. Possui também um banco de dados rico e complexo que privilegia a rapidez resultando em uma resposta satisfatória em consultas. Levantamos vários pontos a serem desenvolvidos e aplicados, que claro, não vou expor aqui, porque quem trabalha de graça é relógio, rs. Mas, o mais importante desse trabalho foi aprender que a partir de uma série de ferramentas de análise você pode ter a diferença entre mais um projeto e um projeto de sucesso.

É por isso que existe a figura do arquiteto de informação, para enriquecer de dados relevantes um projeto, pra ter uma visão holística sobre todas as áreas envolvidas e detectar problemas e soluções antes de qualquer desenho ou redesenho de site, portal ou o produto que for. Pra ninguém morrer de curiosidade, uma palhinha do que foi nossa matriz de escopo.

Pedacinho da nossa matriz de escopo

Pedacinho da nossa matriz de escopo

Anúncios

Sobre a Pós em Arquitetura da Informação e seus trabalhos

A partir de hoje, vou postar as minhas impressões sobre as disciplinas e trabalhos que estou realizando no curso de Arquitetura de Informação da F.I.T.. Não pretendo criticar nem elogiar nenhum dos professores, vou falar somente da disciplina e do trabalho pedido e de como ele foi realizado. Numa pós-graduação, as aulas tendem a ser uma correria sem fim; no fundo, são apenas dicas do caminho a seguir, o aprofundamento de cada conceito, só com muita pesquisa, leitura e com certeza, na prática do dia-a-dia. Aos colegas do 2ª turma de A.I. na F.I.T. peço colaboração com suas próprias experiências nas áreas de comentários. Que assim seja!

Preta, preta, pretinha

Meu curso de desenho chegou ao fim… mas, só o curso pois, desenho é prática, é perseverança (claro, que tem uns gênios que nascem desenhando bem e, claramente, não é o meu caso), mas, no curso pude aprender e entender que desenhar bem é uma questão de olhar, de observar, de sentir o desenho. Tenho muito chão pela frente, sei disso, mas, minha pretensão nem é me tornar uma ilustradora ou algo parecido, pra mim desenho e pintura, são hobbies, que indiretamente me ajudam com questões de criatividade e também, de relaxamento. Desenhar é uma ótima terapia sempre. Acabei de finalizar um dos últimos desenhos que vão compor meu portfólio pra nota final. Foi feito com pastel seco e guache sobre papel Mi-Teintes da Canson

Preta para Marcelo Sá

Preta para Marcelo Sá

A parte mais importante desse post, no entanto, é uma homenagem que eu gostaria de fazer a um amigo, que infelizmente há 4 anos  não está mais entre nós. O Má, era um excelente artista, tinha telas maravilhosas em pastel, e ao ver uma exposição dele, em 92, eu me apaixonei por esse material, que até hoje é meu preferido, embora eu ainda não o domine. Ele tinha uma tela inesquecível de uma negra… e por isso, sonhava em fazer uma. For you.

“A vida é a arte do encontro…

… embora haja tanto desencontro pela vida” (Vinicius de Moraes).  Essa frase permeou um trabalho muito gostoso que realizei pra uma amiga querida. Foi um projeto de TCC onde coube a mim traduzir na capa e na diagramação das páginas toda a riqueza de idéias que as duas lindas colocaram no papel… embora, minha experiência com mídia impressa seja mínima, esse foi um trabalho muito importante, que me trouxe um pouco de aprendizado nessa área. Abaixo o resultado:

Capa do Livro-TCC

Capa do Livro-TCC

O resultado final

O resultado final

Umas das coisas que eu mais gostei foi a frase de Vinícius em forma de Pão de Açúcar. E o melhor, eu ganhei um exemplar!

Arquitetura da Informação na mídia impressa

Tem havido muitas reportagens sobre A.I. nos últimos tempos…  das duas uma: ou resolveram “hypar” a profissão ou de fato, estão descobrindo a importância da arquitetura no planejamento de sites. Só pra citar algumas, saiu em um guia de profissões da Veja há uns meses atrás, saiu na Info desse mês e também, na Revista W – esta última merece umas palavrinhas a mais.

Tanto a Veja quanto a Info parecem querer vender a profissão de A.I. sem no entanto se aprofundar, meio que glamourizam a profissão, mas, não diz de fato, a verdadeira essência do trabalho do arquiteto, já a W, não fala especificamente de A.I. mas, detalha a profissão ricamente, com uma matéria que esclarece muito sobre planejamento e design de informação. Fora que tem um box com o Felipe Memória que é um excelente profissional cheio de boas ideias – já leram o livro dele, Design para a Internet? –  (embora, eu tenha parado de seguir ele via Twitter, porque lá ele só fala de futebol, rs). Vale a pena ler. Mas, infelizmente, tem de comprar a revista pois a matéria não está disponível no site.

Capa da Revista W de março/2009

Capa da Revista W de março/2009

E outra hora, eu falo mais sobre essa revista que pra mim é a melhor revista da área de design/tecnologia atualmente.

Barba e bigode… ou se preferir, wireframe e layout

Para o hot-site da Madonna no Brasil para o Limão – produzi os documentos de A.I. a partir de um desenho executado conjuntamente com a editora do projeto. Participei desde a discussão sobre os campos até a finalização do layout e fiz o acompanhamento junto a parte técnica. Foi um trabalho muito prazeroso, pois fugiu um pouco da normalidade dos trabalhos que executo para o Estadao.com.br. Pude ousar um pouco mais nas cores e no layout já que o referido era um pedido do pessoal do Limão. Como ao fazer o wireframe eu já sabia que ia dar a saída pro layout, acabei fazendo-o muito próximo do que eu queria pro layout, depois apenas artefinalizei. Confira o resultado aqui

Wireframe - Madonna no Brasil para Limão

Wireframe - Madonna no Brasil para Limão

Layout do hot-site

Layout do hot-site