Finalmente acabou… o TCC.

Após mais de um ano e meio de estudos, finalizei a pós em Arquitetura da Informação. Cheguei a fazer alguns posts no começo do curso pra mostrar a dinâmica das disciplinas ( introdução em A.I.; lingüistica e mass media; oficina integradora) mas, não dei continuidade por falta de tempo. A finalização do curso se dá através de um Trabalho de Conclusão de Curso que corresponde ao trabalho científico mais o projeto na prática. No nosso caso, o assunto geral foi futebol, mas, como pretendemos levar o projeto adiante não posso revelar mais detalhes no momento.

Para mim o grande aprendizado desse TCC, além do prático, afinal tinha ao meu lado três arquitetos da informação experientes e brilhantes – Marco, Tássia e Mel – foi a relação entre as pessoas. Quando você é mais velho e tem muitas obrigações, como uma casa para cuidar, um emprego para zelar, pessoas importantes pra dar atenção, o estudo acaba sendo a última das prioridades, e dependendo das pessoas isso pode gerar um grande atrito. Administrar o tempo e os desejos de cada um foi o grande desafio desse TCC. Tínhamos um bom assunto nas mãos, pessoas inteligentes, porém, muito ocupadas, pouco tempo, muitas tarefas e ainda assim conseguimos entregar um grande trabalho. Pra mim, esse foi o grande resultado da experiência. Apesar das adversidades fizemos um trabalho excelente e com paixão. Não por acaso, o nome do trabalho é Paixão Coletiva. Obrigada turminha, cada um de vocês foi essencial para o trabalho acontecer e eu aprendi muito com todos.

Um dos nossos professores, Fábio Palamedi fez um belo post sobre as apresentações e o Marco, grande companheiro também fez um post (com imagens) sobre o nosso trabalho.

É isso. Como a vida e o trabalho não pararam no decorrer do TCC, contarei nos próximos posts o que eu andei fazendo nos últimos meses. Até mais!

Nosso time: Tássia, Marco, eu e Melina.

Nosso time: Tássia, Marco, eu e Melina.

Pesquisa sobre Internet e Futebol

Futebol e internetCom a devida autorização do Marquinho do Magel Studio, meu amigo e companheiríssimo de TCC vou postar as palavras dele sobre a nossa pesquisa (e a imagem também!)

” Pois é, a copa tá chegando aí e a palavra FUTEBOL ainda vai te atormentar bastante!

E aí que eu e meu grupo de trabalho do curso de Pós Graduação resolvemos fazer um estudo de comportamento frente aos aficionados por futebol ou que simplesmente tenham alguma experiência para nos contar.

A pesquisa é simples e super rápida para responder, não levará mais que 5 minutinhos do seu precioso tempo, juro!

Você pode clicar aqui para responder e (ou) mandar para os amigos responderem!

Em breve postarei aqui a segunda parte da pesquisa, aguarde!

Obrigado!!”

Eu agradeço desde sempre a preciosa partipação de vocês!

Coluna da Fisio no ar!

Eu precisava de um assunto interessante pra explorar em um trabalho da pós e uma amiga precisava divulgar seu trabalho. Dessa junção surgiu a idéia de criar um blog colaborativo para fisioterapeutas que utilizarão a ferramenta para dar dicas e falar sobre fisioterapia a quem interessar. Aproveitando o conhecimento adquirido com o case MPB4, o projeto se firmou nas seguintes bases: o blog colaborativo, twitter pra divulgação de posts e links interessantes de fisioterapia, o flickr pras galerias de fotos e a comunidade no orkut também voltada pra divulgação  e discussão dos assuntos pautados pelo blog. Tudo isso integrado na plataforma WordPress.

No momento, contamos com duas profissionais blogando e pretendemos em um futuro bem próximo ampliar o número de colaboradores no site.

O trabalho foi feito conjuntamente com Marco Moreira (designer e arquiteto de informação como eu) e Bruno Fernandes  (analista programador).

É um trabalho que foi feito para contemplar a primeira Oficina Integradora do Conhecimento ministrada pela Thaís Campas no curso da FIT, mas, que vai ser continuado e melhorado, tendo como objetivo se tornar um endereço de referência sobre fisioterapia na web.

Obrigada aos colegas pela realização do trabalho e às fisioterapeutas  Dra. Gislaine Zapata e Dra. Luciana Almeida pela importante contribuição nesse pontapé inicial. Nos visite.

Linguística e Mass Media

Essa disciplina ministrada brilhantemente pela Prof. Msc. Sílvia Dotta nos levou de encontro à algumas teorias de comunicação, cultura de massa e cibercultura.

Assistimos alguns filmes, entre eles, o belíssimo Renaissance, um filme que mostra Paris em 2054, linguagem HQ, alto contraste P&B, onde a linguagem no filme está sempre relacionada a tecnologia. É um filme de aventura, mas, tem muito aspectos a serem observados quando visto da forma como vimos, como objeto de estudo. Abaixo, o trailer:

Dessa disciplina sairam dois trabalhos: a criação de um dispositivo interativo para estabelecimentos para relacionamento com os clientes  e uma resenha crítica de um livro da área. Eu escolhi O Design do Dia a Dia do Donald Norman, que aliás é um excelente livro pra quem quer estudar usabilidade.

O nosso trabalho foi a criação de um dispositivo para supermercados. A função não será descrita aqui, porque, a gente não sabe o dia de amanhã, e podemos resolver produzir a ideia. Mas, foi um trabalho muito interessante com definição de público-alvo, análise SWOT (novidade pra mim, que nem sabia o que era isso), criação de funcionalidades, entre outros tópicos. O trabalho aliou teoria e criatividade e saímos do convencional ao criar um dispositivo pra supermercado, ao invés de uma funcionalidade pra sites ou celular, o que era esperado já que quase todos do grupo trabalham com internet.

Particularmente, eu gostei muito da disciplina, principalmente pela professora, que nos instigou a pensar (e muito), com muitas questões durante a apresentação do trabalho e com o feedback, tão importante pra nós que estamos aprendendo. Aliás, feedback é importante em todas as áreas.

P.s.: Como a resenha é grande, vou disponibilizá-la aos colegas da turma, no nosso grupo. Se alguém, quiser lê-la, é só pedir que eu envio.

Introdução a A.I. e Elementos Fundamentais em A.I.

As duas disciplinas em uma que foram ministradas pela Profª. Thaís Campas nos colocou em contato com as primeiras noções sobre o trabalho do arquiteto de informação e nos apresentou muitos termos do jargão da profissão, assim, como algumas  técnicas e métodos de trabalho. A ferramenta mais discutida e temida por nós em aula foram as matrizes. Matrizes de funcionalidades, matrizes de conteúdo, matrizes. A matriz, no meu entender, nada mais é que um levantamento profundo das funcionalidades e conteúdos de um site/portal (isto, é se for uma matriz legada – de um produto já existente) ou se for de um produto novo, conterá funcionalidades, seções, links, tecnologias, tudo o que for necessário pra um bom andamento de projeto. É uma planilha detalhada nos dois casos e os campos da planilha quem vai definir é o próprio arquiteto.

Como conclusão dessa disciplina nos foi pedido um trabalho em grupo de análise de um portal ou site à escolha com os seguintes conteúdos: uma matriz de escopo até o 4º nível do site mais perfil do negócio, razão de escolha do portal a ser analisado, análise da situação do portal (pontos fracos, fortes, oportunidades e ameaças) e uma conclusão com possíveis melhorias para a experiência do usuário.

Eu e o meu grupo ( Eglen Mari, Erico Rabanea e Shirley Higa) escolhemos o portal da SPTrans por ser um portal destinado a informar as pessoas sobre o transporte público da cidade e os benefícios de usá-lo, além de mostrar as facilidades que oferecem.

Após a análise detalhada nós chegamos a algumas conclusões: que o portal da SPTrans apresenta uma série de serviços relevantes a população em geral, tanto o usuário de transporte coletivo quanto o usuário de transporte individual. Possui também um banco de dados rico e complexo que privilegia a rapidez resultando em uma resposta satisfatória em consultas. Levantamos vários pontos a serem desenvolvidos e aplicados, que claro, não vou expor aqui, porque quem trabalha de graça é relógio, rs. Mas, o mais importante desse trabalho foi aprender que a partir de uma série de ferramentas de análise você pode ter a diferença entre mais um projeto e um projeto de sucesso.

É por isso que existe a figura do arquiteto de informação, para enriquecer de dados relevantes um projeto, pra ter uma visão holística sobre todas as áreas envolvidas e detectar problemas e soluções antes de qualquer desenho ou redesenho de site, portal ou o produto que for. Pra ninguém morrer de curiosidade, uma palhinha do que foi nossa matriz de escopo.

Pedacinho da nossa matriz de escopo

Pedacinho da nossa matriz de escopo

Sobre a Pós em Arquitetura da Informação e seus trabalhos

A partir de hoje, vou postar as minhas impressões sobre as disciplinas e trabalhos que estou realizando no curso de Arquitetura de Informação da F.I.T.. Não pretendo criticar nem elogiar nenhum dos professores, vou falar somente da disciplina e do trabalho pedido e de como ele foi realizado. Numa pós-graduação, as aulas tendem a ser uma correria sem fim; no fundo, são apenas dicas do caminho a seguir, o aprofundamento de cada conceito, só com muita pesquisa, leitura e com certeza, na prática do dia-a-dia. Aos colegas do 2ª turma de A.I. na F.I.T. peço colaboração com suas próprias experiências nas áreas de comentários. Que assim seja!